A GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO BRASIL FRENTE ÀS QUESTÕES DA GLOBALIZAÇÃO

  • Rafael Medeiros de Andrade Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ
  • João Alberto Ferreira Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ

Resumo

A relação entre a globalização e a gestão de resíduos sólidos urbanos assume hoje em dia uma importância que não pode ser negligenciada. Mais que um impacto sobre as técnicas de manejo dos resíduos sólidos urbanos, a globalização influencia na quantidade e no tipo dos resíduos sólidos, essencialmente pelo padrão de consumo capitalista e pelas estratégias de obtenção de lucro por parte das empresas, como a obsolescência programada e a produção de supérfluos. Além disso, existem aspectos da globalização que também impõem uma desigual relação político-econômica entre os países centrais e periféricos, proporcionando uma grande disparidade entre os territórios. No Brasil, a questão dos catadores de resíduos, o mito do milagre da reciclagem, a gestão territorial do Estado neoliberal e as dificuldades políticas que pequenos municípios enfrentam quanto à gestão de resíduos sólidos são alguns exemplos de como a globalização dificulta a execução desse serviço.

Como Citar
DE ANDRADE, Rafael Medeiros; FERREIRA, João Alberto. A GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO BRASIL FRENTE ÀS QUESTÕES DA GLOBALIZAÇÃO. REDE - Revista Eletrônica do PRODEMA, Fortaleza, v. 6, n. 1, mar. 2011. ISSN 1982-5528. Disponível em: <http://www.revistarede.ufc.br/rede/article/view/118>. Acesso em: 04 abr. 2020.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Resíduos sólidos urbanos; globalização; reciclagem