ANÁLISE ESTRUTURAL DA PAISAGEM DA RESEX DE CURURUPU, MARANHÃO, BRASIL

  • Adilson Matheus Borges Machado Universidade Federal do Ceará
  • Leonardo Silva Soares
  • Karla Maria Silva de Faria

Resumo

A Reserva Extrativista (RESEX) Marinha de Cururupu, localizada no estado do Maranhão, é uma Unidade de Conservação (UC) Federal de Uso Sustentável, considerada a maior em ambiente marinho-costeiro do Brasil. A relevância ambiental da área é inquestionável, visando a proteção dos meios de vida e da cultura dessas populações, assegurando o uso sustentável dos recursos naturais. Nesse sentido, o objetivo do capítulo foi analisar a dinâmica da paisagem da Reserva Extrativista (RESEX) Marinha de Cururupu, nos últimos 6 anos (2014 a 2020) de modo a contribuir para a compreensão de padrões espaço-temporais de paisagens da região. Foram elaborados mapeamentos de uso e cobertura da terra que foram interpretados conjuntamente com os índices descritores da paisagem. Os resultados indicam que a RESEX Marinha de Cururupu apresentou um processo de fragmentação com relação ao número de fragmentos (NP), onde identificou-se a ampliação de mais de 3.900.000 m2 e na criação de bordas relacionadas as manchas de vegetação associadas à influência da maré. Conclui-se que os processos de modificação ocorreram onde predominam relevos planos e com variação das áreas inundáveis que modificam a paisagem.

Referências

ABREU, K. M. P.; COUTINHO, L. M. Sensoriamento remoto aplicado ao estudo da vegetação com ênfase em índice de vegetação e métricas da paisagem. Vértices. Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, p. 173-198, 2014.
ASP, N.E.; GOMES, V.J.C.; SCHETTINI, C.A.F.; SOUZA-FILHO, P.W.M.; SIEGLE, E.; OGSTON, A.S.; NITTROUER, C.A.; SILVA, J.N.S.; NASCIMENTO JR., Souza, S.R.; PEREIRA, L.C.C.; QUEIROZ, M.C. Sediment dynamics of a tropical tide-dominated estuary: Turbidity maximum, mangroves and the role of the Amazon River sediment load. Estuarine, Coastal and Shelf Science, 214, 10-24. 2018. https://doi.org/10.1016/j.ecss.2018.09.004.
CHAVEZ JUNIOR, P. S. Image-based atmospheric corrections – revisited and improved. Photogrammetric Engineering and Remote Sensing, v. 62, p. 1025-1036, 1996.
COSTA, F. W. D. Territórios costeiros marinhos e as “estratégias de gestão”: o caso da Resex de Cururupu – MA. 176 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Socioespacial e Regional) - Universidade Estadual do Maranhão, São Luís, 2015.
D’ASTOUS A.; POULIN M.; AUBIN I.; ROCHEFORT L. Usingfunctional diversity as an indicator of restoration success ofa cut-over bog. Ecological Engineering, 61:519–526. 2013. https://doi.org/10.1016/j.ecoleng.2012.09.002.
DOREN, R.F.; VOLIN J.C.; RICHARDS J.H. Invasive exotic plantindicators for ecosystem restoration: an example from the Everglades restoration program. Ecological Indicators 9:S29–S36. 2009. https://doi.org/10.1016/j.ecolind.2008.08.006.
DUFOUR, S.; BERNEZ, I.; BETBEDER, J.; CORGNE, S.; HUBERT-MOY, L.; NABUCET, J.; RAPINEL, S.; SAWTSCHUK, J.; TROLLE, C. Monitoring restored riparian vegetation: how can recentdevelopments in remote sensing sciences help? Knowl Manag Aquat. Ecosyst. 2013. https://doi.org/10.1051/kmae/2013068.
EL-ROBRINI, M.; ALVES, M.A.M.S., MARQUES J.R.V.; EL-ROBRINI, M.H.S.; FEITOSA, A.C.; TAROUCO, J.E.F.; SANTOS, J.H.S.; VIANA, J.R. Maranhão. In: DIETER MUEHE. (Org.). Erosão e Progradação no Litoral Brasileiro. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, p. 87-130. 2006.
FEITOSA, A. C. Relevo do estado do Maranhão: uma nova proposta de classificação topomorfológica. IV Simpósio Nacional de Geomorfologia, Goiânia, pp. 1–6. 2006.
FLORENZANO, T. G. Imagens de Satélite para Estudos Ambientais. São Paulo, SP: Oficina De Textos, 2002, 100 p.
FREIRES, E. V.; da SILVA NETO, C. Â.; CUNHA, D. S. R.; DUARTE, C. R.; VERÍSSIMO, C. U. V.; GOMES, D. D. M. Comparação de Imagens OLI/Landsat-8 e MSI/Sentinel-2 no Mapeamento de Cobertura e Uso da Terra no Maciço de Uruburetama, Ceará. Anuário do Instituto de Geociências, 42(4), 2020. p. 427-442. http://dx.doi.org/10.11137/2019_4_427_442.
IBGE 2015 - http://www.cidades.ibge.gov.br – Acessado em: 17 de março de 2021.
ICMBIO, Ministério do Meio Ambiente. Plano de Manejo da Reserva Extrativista Marinha de Cururupu. Termo de Referência: 2014.0514.00029-0 – FUNBIO. Aguardando publicação no Diário Oficial do Maranhão, 2016.
ICMBIO. Ministério do Meio Ambiente. Caracterização de aspectos socioambientais e econômicos da Unidade e proposta de estudos complementares. Reserva Extrativista Marinha de Cururupu/MA. Brasília, 2009.
INSTITUTO SOCIOAMBIENTAL – ISA. 2010. (Online). APA das Reentrâncias Maranhenses. . 11 fev. 2014.
JENSEN, J. R. Sensoriamento Remoto do Ambiente: uma perspectiva em Recursos Terrestres. Tradução de J. C. N. Epiphanio. Ed. Parênteses, São José dos Campos, SP. 2011.
KOBAYASHI, Y.; OKADA, K.; MORI, A. S. Reconsidering biodiversity hotspots based on the rate of historical land-use change. Biological Conservation, v. 233, p. 268-275, 2019. https://doi.org/10.1016/j.biocon.2019.02.032.
KUPFER, J.A. Landscape ecology and biogeography. Rethinking landscapemetrics in a post-FRAGSTATS landscape. Progress in Physical Geography, 36, 400–420. 2012. https://doi.org/10.1177%2F0309133312439594.
LAURANCE, W. F. Do edge effects occur over large spatial scales? Trends in Ecology & Evolution, v. 15, n. 4, p. 134-135, 2000. https://doi.org/10.1016/s0169-5347(00)01838-3.
LIANG, S.; FANG, H.; CHEN, M. Atmospheric correction of Landsat ETM+ land surface imagery. I. Methods. IEEE Transactions on Geoscience and Remote Sensing, v. 39, n. 11, p. 2490-2498, 2001. https://doi.org/10.1109/36.964986.
MATHER, P. Computer Processing of Remotely-Sensed Images. John Wiley & Sons, Chichester, UK, 1999.
MCGARIGAL, K.; MARKS, B. J. FRAGSTATS: spatial pattern analysis program for quantifying landscape structure. Portland: Gen. Tech. Rep. PNW_GTR_ PNW-GTR-351, OR: U. S. Department of Agriculture, Forest Service, Pacific Northwest Research Station, 1995. 122 p.
MCGRATH, D. G.; ALMEIDA, O. T.; MERRY, F. D. The influence of community management agreements on household economic strategies: Cattle grazing and fishing agreements on the Lower Amazon floodplain. International Journal of the Commons, v. 1, n. 1, p. 67-87, 2007.
MMA – MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Avaliações e ações prioritárias para a Convenção da Biodiversidade da Zona Costeira e Marinha. Brasília: MMA/FUNDAÇÃO BIO-RIO, 2002. p. 72.
MOLION, L.C.B. (1987). Dynamic Climatology of the Amazon region: precipitation mechanisms. Brazilian Journal of Meteorology, 2(1), 107-117.
NOVACK, T. Classificação da cobertura da terra e do uso do solo urbano utilizando o sistema InterIMAGE e imagens do sensor QuickBird. 2009. 214 p. (INPE-16594-TDI/1580). Dissertação (Mestrado em Sensoriamento Remoto) - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos, 2009. Disponível em: Acesso em: 01 out. 2018.
RENÓ, V.; NOVO, E. Forest depletion gradient along the Amazon floodplain. Ecological Indicators, v. 98, p. 409-419, 2019. https://doi.org/10.1016/j.ecolind.2018.11.019.
RICHTER, Rudolf. A spatially adaptive fast atmospheric correction algorithm. International Journal of Remote Sensing, v. 17, n. 6, p. 1201-1214, 1996. https://doi.org/10.1080/01431169608949077.
RODRIGUES, T. C. S. Classificação da Cobertura e do Uso da Terra com Imagens Worldview-2 de Setores Norte da Ilha do Maranhão por Meio do Aplicativo Interimage e de Mineração de Dados. 2014. 87 p. Dissertação (Mestrado em Sensoriamento Remoto) - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos, 2014.
Publicado
19/01/2022
Como Citar
MACHADO, Adilson Matheus Borges; SOARES, Leonardo Silva; FARIA, Karla Maria Silva de. ANÁLISE ESTRUTURAL DA PAISAGEM DA RESEX DE CURURUPU, MARANHÃO, BRASIL. REDE - Revista Eletrônica do PRODEMA, Fortaleza, v. 15, n. 2, p. 7-16, jan. 2022. ISSN 1982-5528. Disponível em: <http://www.revistarede.ufc.br/rede/article/view/702>. Acesso em: 17 abr. 2024.