A VARIABILIDADE CLIMÁTICA E A FREQUÊNCIA DE DENGUE EM FORTALEZA, CE, BRASIL

  • Gledson Bezerra Magalhães Universidade Federal do Ceará
  • Maria Eliza Zanella Universidade Federal do Ceará

Resumo



O objetivo desse trabalho constituiu-se em analisar a manifestação da dengue na cidade de Fortaleza/CE entre os anos 2001 a 2013, relacionando a quantidade de casos, as incidências da doença, a infestação predial do Aedes Aegypti e as características climáticas da região. Para isso, foram adquiridos dados das variáveis supracitadas. Confeccionaram-se mapas, gráficos e estabeleceram-se correlações estatísticas. Verificou-se um comportamento de chuvas heterogêneo espacial e temporalmente, porém similar a cada ano. Observa-se que nos anos com poucos casos de dengue e que configuraram tipologia climática de ano muito seco, seco, habitual ou muito chuvoso, a quantidade de casos concentra-se proporcionalmente fora da quadra chuvosa, a exemplo dos anos de 2002, 2004, 2009, 2010 e 2013. O que não se constatou em anos de grande epidemia, como os de 2001, 2008, 2011 e 2012 que tiveram proporcionalmente a maior concentração de casos na quadra chuvosa. O ápice dos casos ocorre, comumente, com intervalo de um a dois meses depois do aumento das chuvas e da temperatura do ar. A umidade relativa do ar apresentou uma relação de tempo mais curta no que se refere às condições ótimas para a proliferação do mosquito vetor.


 

Biografia dos Autores

Gledson Bezerra Magalhães, Universidade Federal do Ceará
Professor de Geografia, mestre e doutor em Geografia pela Universidade Federal do Ceará,especialista em Saúde Pública pela Universidade Estadual do Ceará. Atualmente está no estágio Pós-doutoral no Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFC. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Climatologia Geográfica, Geoprocessamento, Geografia da Saúde e Biogeografia.
Maria Eliza Zanella, Universidade Federal do Ceará
Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (1987), mestrado em Organização do Espaço pela Universidade Estadual Paulista Rio Claro (1992) e doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento pela Universidade Federal do Paraná (2006). Atualmente é professora da graduação e pós-graduação em Geografia e PRODEMA da Universidade Federal do Ceará. É Coordenadora do Mestrado do PRODEMA (Programa de Desenvolvimento e Meio Ambiente- UFC). Também é Pesquisadora Pq do CNPq. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Climatologia Geográfica e Meio Ambiente, atuando principalmente nos seguintes temas: climatologia urbana, eventos extremos, impactos pluviais, risco ambiental e vulnerabilidade socioambiental. 
Publicado
12/11/2015
Como Citar
MAGALHÃES, Gledson Bezerra; ZANELLA, Maria Eliza. A VARIABILIDADE CLIMÁTICA E A FREQUÊNCIA DE DENGUE EM FORTALEZA, CE, BRASIL. REDE - Revista Eletrônica do PRODEMA, Fortaleza, v. 9, n. 1, nov. 2015. ISSN 1982-5528. Disponível em: <http://www.revistarede.ufc.br/rede/article/view/296>. Acesso em: 13 jun. 2024.

Palavras-chave

elementos climáticos, dengue, análise estatística.