O conceito de soberania e suas implicações sobre o aquecimento global antrópico

  • Antônio Carlos Demanboro
  • Arthur Colombo Bergamaschi PUC-Campinas

Resumo

O presente artigo descura o significado de soberania sob o vértice da contenção do aquecimento global, com exemplo prático da discussão o (o)caso da floresta amazônica na contemporaneidade. O levantamento de dados é feito por pesquisa documental e bibliográfica, sendo que a análise dos dados se vale do método dedutivo. É visto que o aquecimento global, por sua vez, advém da atividade antrópica. Tal afirmação conta com grau de aceitação de 97% dos cientistas climáticos. Considera-se que a soberania dos países, aliada ao acirramento da globalização e da (des)ordem internacional, contribuem para o agravamento das mudanças climáticas, seja pela prevalência do interesse econômico dos Estados capitaneados pelas grandes empresas, cuja polaridade acirra a globalização mercantil em busca da hegemonia econômica, seja pela falta de concertação e governança internacional.

Referências

Accioly, H.; Nascimento e Silva, G.E.; Casella, P. B. Manual de Direito Internacional Público. São Paulo: Saraiva, 2.012.
Amaral Júnior, Alberto. Curso de Direito Internacional Público. São Paulo: Atlas, 5º edição, 2.015, p.756.
Araújo, André Motta. O aquecimento global, o redesenho geopolítico e o novo país ‘Amazônia’, por Andre Motta Araujo. O Jornal de Todos os Brasis. 26/08/2019. Disponível em https://jornalggn.com.br/geopolitica/o-aquecimento-global-o-redesenho-geopolitico-e-o-novo-pais-amazonia-por-andre-motta-araujo/. Acessado em 30/10/2019.
Arivumani AR; Vijayalaxmi I. Sustainable Development. ADVANCES in NATURAL and APPLIED SCIENCES. 2017 May 11(7): pages 296-300.
Ayuso, Silvia. G7 anuncia fundo emergencial para Amazônia, mas Planalto planeja rejeitar verba. Incêndios ganham protagonismo na cúpula do G7 e líderes do bloco concordaram em providenciar 20 milhões de dólares de ajuda emergencial para combater as queimadas. 27/08/2019. EL PAÍS. Disponível em https://brasil.elpais.com/brasil/2019/08/25/internacional/1566742673_646488.html. Acessado em 30/10/2019.
Barbosa, Rosangela Nair de Carvalho. A Alienação, a Crise e os Manuscritos Econômicos Filosóficos: retomada do debate na formação intelectual. Textos & Contextos (Porto Alegre), v. 13, n. 2, jul./dez. 2014.
Boff, Leonardo. Sustentabilidade. Rio de Janeiro: Vozes, 2015, 4º edição.
Bonavides, Paulo. Ciência Política. São Paulo: Malheiros, 2012,
Calixto, Bruno. Carlos Nobre: "O Brasil não está preparado para se adaptar ao antropoceno". Segundo um dos principais cientistas do Brasil, o planeta já entrou em uma nova época, o antropoceno, graças à interferência humana na Terra. 18/12/2015. Época. Disponível em https://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/blog-do-planeta/noticia/2015/12/carlos-nobre-o-brasil-nao-esta-preparado-para-se-adaptar-ao-antropoceno.html. Acessado em 05/11/2019.
Cavalcanti, Clóvis. Economia ecológica: uma possível referência para o desenho de sistemas humanos realmente sustentáveis. Redes – Santa Cruz do Sul: Universidade de Santa Cruz do Sul, v. 22, n. 2, maio-agosto, 2017.
Carrington, Damian. Firms ignoring climate crisis will go bankrupt, says Mark Carney. The Guardian. 13/10/2019. Disponível em https://www.theguardian.com/environment/2019/oct/13/firms-ignoring-climate-crisis-bankrupt-mark-carney-bank-england-governor. Acessado em 30/10/19.
Cechin, Andrei; Pacini, Henrique. Economia Verde: por que o otimismo deve ser aliado ao ceticismo da razão. Estudos avançados 26 (74), 2012
Chade, Jamil. "Multinacionais monopolizam um poder que jamais um imperador ou papa teve na história". Jean Ziegler, relator especial da ONU explica como as “sociedades multinacionais privadas” tornaram-se as verdadeiras donas do mundo. 07/07/2019. Diálogos do Sul. Disponível em https://dialogosdosul.operamundi.uol.com.br/economia/58892/multinacionais-monopolizam-um-poder-que-jamais-um-imperador-ou-papa-teve-na-historia. Acessado em 30/10/2019.
Chomsky, Noam. Quem manda no mundo? Tradução Renato Marques. 1º edição, São Paulo: Planeta, 2017.
Colombo, S. R. B.; Sparemberger, R. F. L. A Relativização do Conceito de Soberania como Condição para Proteção do Direito Fundamental ao Meio Ambiente. Direito, Estado e Sociedade. n. 49, p. 208 a 233, jul./dez. 2016.
Cook, J. (2019). Understanding and countering misinformation about climate change. In Chiluwa, I. & Samoilenko, S. (Eds.), Handbook of Research on Deception, Fake News, and Misinformation Online (pp. 281-306). Hershey, PA: IGI-Global.
Costa Silva, R. W.; Paula, B. L. Causa do aquecimento global: antropogência versus natural. Terrae Didática. 5, (1): p. 42-49, 2009.
Dallari, Dalmo de Abreu. Elementos de Teoria Geral do Estado. São Paulo: Saraiva, 29º edição, 2010, 314 p.
Daly, h. e., Farley, J. Ecological Economics: principles and applications. Washington: Island Press, 2011 [2004]
De Bolle, Monica. The Amazon Is a Carbon Bomb: How Can Brazil and the World Work Together to Avoid Setting It Off? Outubro, 2019. Peterson Institute for International Economics. Disponível em https://www.piie.com/publications/policy-briefs/amazon-carbon-bomb-how-can-brazil-and-world-work-together-avoid-setting. Acessado em 30/10/2019.
Descartes, René. O Discurso do Método. Tradução de Paulo Neves, Porto Alegre: L&M, 2012.
Food anda Agriculture Organizatiion of the United Nations (FAO), 2013. Disponível em http://www.fao.org/news/story/en/item/197623/icode/. Acessado em 30/10/2019.
Feil, A. A.; Strasburg, V. J.; Schreiber, D. Análise dos eventos históricos para a concepção dos termos sustentabilidade e desenvolvimento sustentável. Revista Eletrônica do Prodema. Fortaleza, Brasil, v. 10, n. 1, p. 7-21, jan./jun. 2016. ISSN: 1982-5528
Feil, A. A.; E Schreiber, D. Sustentabilidade e desenvolvimento sustentável: desvendando as sobreposições e alcances de seus significados. Cad. EBAPE.BR, v. 14, nº 3, Artigo 7, Rio de Janeiro, Jul./Set. 2017.
Ferreira, Bernardo. O essencial e o acidental: Bodin (e Hobbes) e a invenção do conceito moderno de Constituição. Lua Nova, São Paulo, 88: 381-426, 2013.
Field, Barry C.; Field, Martha K. Introdução à Economia do Meio Ambiente. Porto Alegre: AMGH, 6º edição, 2014, 383 p.
Fleury, Lorena Cândido. Almeida, Jalcione. A construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte: conflito ambiental e o dilema do desenvolvimento. Ambiente & Sociedade. São Paulo v. XVI, n. 4 n p. 141-158 n out.-dez. 2013
Foley, Katherine Ellen. Those 3% of scientific papers that deny climate change? A review found them all flawed. Quartz. 5 de setembro de 2017. Disponível em https://qz.com/1069298/the-3-of-scientific-papers-that-deny-climate-change-are-all-flawed/. Acessado em 31/10/2019.
Muchalak, Gabrieli Nascimento; Braga, Lucia Moliani. Castro, Demian; Leão, Igor Zanoni. Socialismo ou Capitalismo: o que a China tem a nos dizer? Idéias. Campinas, SP, v. 10, p. 1-24, 2019.
Nassif, Luis. Desigualdade, estatísticas e a sombra do Coringa, por Luis Nassif O Jornal de Todos os Brasil. 27/10/2019. Disponível em https://jornalggn.com.br/coluna-economica/desigualdade-estatisticas-e-a-sombra-do-coringa-por-luis-nassif/. Acessado em 17/11/19.
Gil, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. - São Paulo : Atlas, 2008.
Global Footprint Network: Advancing the sciente of the sustainability. 26/06/2019. Disponível em https://www.footprintnetwork.org/2019/06/26/press-release-june-2019-earth-overshoot-day/. Acessado em 30/10/2019.
Harari, Yuval Noah. Homo Deus: uma breve história do amanhã. Tradução Paulo Geiger, 1º edição, São Paulo: Companhia das Letras, 2016.
Harari, Yuval Noah. 21 lições para o século 21.1º edição, São Paulo: Companhia das Letras, 2018.
Harvey, David. Marx e o capital no século XXI: uma entrevista com David Harvey. Jornal de todos os Brasis, 2018, acessado em https://jornalggn.com.br/blog/wilton-cardoso-moreira/marx-e-o-capital-no-seculo-xxi-uma-entrevista-com-david-harvey, dia 21 de setembro de 2018.
Heed, Richard. Climate Accountability Institute Press Release on Carbon Majors Update, 1965-2017, 9 October, 2019. Disponível em http://climateaccountability.org/publications.html. Acessado em 05/11/2019.
The Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC). Disponível em https://www.ipcc.ch. Acessado em 31/10/2019
Jesus, Ana de. SILVA, Bruno Oliveira. Ambiente, “economia verde” e Direitos Humanos. Análise Social, 223, LII (2º), 2017, p. 306-327, ISSN 2182-2999.
Kritsch, Raquel. Rumo ao Estado Moderno: as raízes medievais de alguns de seus elementos formadores. Revista de Sociologia Política, Curitiba, 23, p. 103-114, nov. 2004.
Lins Júnior, G. S.; Gonzaga, N. L. O princípio da autodeterminação dos povos e os direitos humanos das mulheres. Revista Juris Poiesis ano 19, n° 20, jun-set. 2016 ISSN 2448-0517, p. 71-96.
Lopes, D. B. Gama, C.F. “Bem me queres, mal me queres: ambivalência discursiva na avaliação canônica do desempenho da ONU”, Revista Sociologia Política. Curitiba, v. 17, n. 33, p. 151-167, jun. 2009.
Loureiro, Violeta Refkalefsky. Amazônia: uma história de perda e danos, um futuro a (re)construir. Estudos Avançados. 16 (45), 2002.
Lyra Filho, Roberto. O que é Direito. São Paulo: Editora Brasilense, 2012.
Machado, Lia Osorio. O visível e o invisível: o sistema financeiro-corporativo mundial sob o prisma da extraterritorialidade e do binômio legal/ilegal. Geousp – Espaço e Tempo (Online), v. 21, n. 2, p. 325-340, 2017, ISSN 2179-0892.
Maquiavel. O Príncipe. Editora Martin Claret: São Paulo, 2007.
Miklós, A. A. W. O homem e a terra: solidariedade na vida econômica. GEOUSP, - Espaço e Tempo, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 109-127, 2015.
Ministério do Meio Ambiente do Brasil. Disponível em https://www.mma.gov.br/informma/item/195-efeito-estufa-e-aquecimento-global. Acessado em 30/10/2019.
Monbiot, George. Dare to declare capitalism dead – before it takes us all down with it. The Guardian. 25/04/2019. Disponível em https://www.theguardian.com/commentisfree/2019/apr/25/capitalism-economic-system-survival-earth. Acessado em 30/10/2019.
Moreira, Eduardo. O que os donos do poder não querem que você saiba. São Paulo: Alaúde Editorial, 2017.
Nascimento, Elimar Pinheiro do. Trajetória da sustentabilidade: do ambiental ao social, do social ao econômico. Estudos Avançados, 26 (74), p. 51-64, 2012.
Ocampo, Raúl Granillo. Direito Internacional Público da Integração. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.
Organização das Nações Unidas. Conheça os novos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Nações Unidas Brasil. 25/09/2015. Disponível em https://nacoesunidas.org/conheca-os-novos-17-objetivos-de-desenvolvimento-sustentavel-da-onu/. Acessado em 03/11/2019.
Papa Francisco. Carta encíclica laudato si’ do santo padre Francisco sobre o cuidado da casa comum. disponível em http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/encyclicals/documents/papa-francesco_20150524_enciclica-laudato-si.html. acessado em 30/10/19.
Planelles, Manuel. “A culpa pela mudança climática não é das vacas, é das pessoas”. Marta G. Rivera Ferre, membro do IPCC (painel que assessora a ONU sobre mudança climática) alerta que enquanto nos países desenvolvidos o consumo de proteína animal deveria ser reduzido, em alguns mais pobres teria de haver aumento. 09/08/2019. EL PAÍS. Disponível em https://brasil.elpais.com/brasil/2019/08/08/ciencia/1565285624_326508.html. Acessado em 30/10/2019.
Robinson, John. Squaring the circle? Some thoughts on the idea of sustainable development. Ecological Economics 48 (2004), 369-384.
Romeiro, Ademar Ribeiro. Desenvolvimento Sustentável: uma perspectiva econômico-ecológica. Estudos Avançados 26 (74), 2012, p. 65-92.
Rubens Júnior. Combustíveis fósseis são os maiores responsáveis pelo efeito estufa. Palestra de Adriano Santhiago. Ministério do Meio Ambiente do Brasil. Disponível em https://www.mma.gov.br/informma/item/4125-combustiveis-fosseis-sao-maiores-responsaveis-pelo-. Acessado em 03/11/2019.
Rushkoff, Douglas. Os ultra-ricos preparam um mundo pós-humano. Tradução Inês Castilho. 06/03/2019. Jornal de Todos os Brasis. Disponível em https://jornalggn.com.br/artigos/os-ultra-ricos-preparam-um-mundo-pos-humano/, acessado em 24 de abril de 2019.
Sachs, Ignacy. Desenvolvimento includente, sustentável sustentado. Rio de Janeiro: Garamond, 2008
Selin H.; MANN, Michael. Global warming. EARTH SCIENCE. Enciclopédia Britânica. Disponível em https://www.britannica.com/science/global-warming. Acessado em 30/10/2019.
Senra, Ricardo. BBC News. Noruega é maior acionista de mineradora denunciada por contaminação na Amazônia. 28/06/2017. Acessado em 30/10/19 e disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-40423002:
Souza, Jessé. A Elite do Atraso. Rio de Janeiro: Estação Brasil, 2019.
Stiglitz, Joseph. Progressive Capitalism Is Not an Oxymoron. The New York Times. 19/04/2019. Disponível em https://www.nytimes.com/2019/04/19/opinion/sunday/progressive-capitalism.html. Acessado em 30/10/2019.
Taylor, Matthew; Watts, Jonathan Watts. Revealed: the 20 firms behind a third of all carbon emissions. 09/10/2019. The Guardian. Disponível em: https://www.theguardian.com/environment/2019/oct/09/revealed-20-firms-third-carbon-emissions. Acessado em 03/11/2019.
Thomas, Janet M.; Callan, Scott J. Economia Ambiental: fundamentos, políticas e aplicações. Tradução Antonio Claudio Lot, Marta Reyes Gil Passos. São Paulo: Cengage Learning, 2010, 3º reimpressão 2015.
Van den Bergh, J. C. (2001). Ecological economics: themes, approaches, and differences with environmental economics. Regional Environmental Change, 2(1), 13-23.
Voigt, Rudiger. Quem é o Soberano? Sobre um conceito-chave na discussão sobre o Estado. Revista de Sociologia Política. Curitiba, v. 21, n. 46, p. 105-113, jun. 2013.
World Resource Institute. 29/03/2019. Disponível em https://wribrasil.org.br/pt/blog/2019/03/diferenca-entre-os-impactos-de-um-aquecimento-de-15c-ou-2c-no-planeta.. Acessado em 30/10/19.
Publicado
17/01/2021
Como Citar
DEMANBORO, Antônio Carlos; BERGAMASCHI, Arthur Colombo. O conceito de soberania e suas implicações sobre o aquecimento global antrópico. REDE - Revista Eletrônica do PRODEMA, Fortaleza, v. 1, n. 14, p. 103-118, jan. 2021. ISSN 1982-5528. Disponível em: <http://www.revistarede.ufc.br/rede/article/view/603>. Acesso em: 25 fev. 2021.