CATOGRAFIAS SOCIAIS, CONFLITOS E GESTÃO TERRITORIAL NA TERRA INDIGENA PITAGUARY

  • Natane Oliveira da Costa Universidade Federal do Ceará
  • Francisco Otávio Landim Neto Universidade Federal do Amapá

Resumo

A Cartografia Social corresponde a uma metodologia participativa voltada para a efetivação de diagnósticos socioambientais visando contribuir com a gestão comunitária, uma vez que caracteriza-se como um ramo do conhecimento cartográfico que possui importância social, devido ao fato de oferecer possibilidades de empoderamento e capacidade de gestão territorial aos povos tradicionais em situação de risco territorial, auxiliando-os na demarcação de seus próprios limites de moradia, caça, pesca, extrativismo e dentre outros. Este estudo sistematizou um conjunto de fundamentos teóricos e procedimentos técnico-metodológicos de caráter interdisciplinar, a partir de vivência prática comunitária, que iniciou o processo inerente à elaboração de mapas sociais na aldeia indígena Monguba, representando um diagnóstico dos conflitos socioambientais e as propostas da comunidade para a mitigação ou resolução dos problemas encontrados. No que concerne ao referencial teórico, à pesquisa foi fundamentada nos estudos de Acselrad (2008); Almeida (2008); Chapin (2005); Popayan (2005); Carvalho (2014); Landim Neto; Silva; Costa (2016). Enquanto aporte metodológico a Cartografia Social possui fundamentos na investigação-ação-participação neste caso sendo considerado também os conceitos geográficos de território e paisagem. A partir das ações realizadas o diagnóstico participativo demonstrou as características culturais e ambientais da comunidade; representou-se cartograficamente, por meio de metodologias da Cartografia Social, o território tradicional, atentando para elementos e aspectos relevantes da comunidade. Através das ações da Cartografia Social foram realizadas proposições voltadas ao fortalecimento da gestão territorial no âmbito local.

Biografia do Autor

Francisco Otávio Landim Neto, Universidade Federal do Amapá

Professor Adjunto A do Magistério Superior - 40h DE - Colegiado de Geografia da Universidade Federal do Amapá - UNIFAP, Campus Binacional do Oiapoque. Graduado em Geografia na modalidade Licenciatura pela Universidade Federal do Ceará - UFC (2010). Possui mestrado em Geografia (2013) pela Universidade Federal do Ceará. Doutor (2016) na referida instituição. Diretor Geral do Campus Binacional do Oiapoque (2017). Professor vinculado ao Programa de Pós-graduação em Geografia (Mestrado) PPGEO - UNIFAP. Tem experiência na área de Cartografia Social, Planejamento Ambiental em Bacias Hidrográficas, atuando nos seguintes temas: Análise Integrada da Paisagem, Geoprocessamento e Educação Ambiental.

Referências

ACSELRAD, H; COLI, L.R. Disputas cartográficas e disputas territoriais. In: ACSELRAD, H. et al. (Org.). Cartografias sociais e território. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Pesquisa e Planejamento urbano e Regional, 2008, p. 13-43.
ACSELRAD, H; VIÈGAS, R. N. Cartografias Sociais e Territórios – um diálogo latino americano. In: Cartografia Social, terra e território. ACSELRAD, H; VIÈGAS, R. N, et al (Orgs). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Pesquisa e Planejamento urbano e Regional, 2013, 318p.
ACSELRAD, H. Introdução: o debate sobre cartografia e processos de territorialização - anotações de leitura. In: ACSELRAD, H. et al. (Org.). Cartografias sociais, lutas por terra e lutas por território. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Pesquisa e Planejamento urbano e Regional, 2015, p.08-29.
ARANGO, V. M; SÁNCHEZ, A. G; MESA, C. A. O. Andar Dibujando y Dibujar Andando: Cartografía Social y Producción Colectiva de Conocimientos. Revista Nómadas (Col) [online] 2014 p.191-205.
BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Censo demográfico 2000.
CARBALLEDA, A. J. M. Cartografías e Intervención en lo social. In: TETAMANTI, M.D (Org). Cartografía social: investigaciones e intervención desde las ciencias sociales: métodos y experiencias de aplicación. 1a ed. – Comodoro Rivadavia: Universitaria de la Patagonia, 2012. 162p.
CRAMPTON, J. W; KRYGIER. Uma introdução à cartografia critica. In: ACSELRAD, H. et al. (Org.). Cartografias sociais e território. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Pesquisa e Planejamento urbano e Regional, 2008, p. 85-111.
FILHO, K.P; TETI, M. M. A cartografia como método para as ciências humanas e sociais. Barbarói, Santa Cruz do Sul, n.38, 2013, p.45-59.
FUNDAÇAO NACIONAL DE SAÚDE – FUNASA. Cadastramento dos povos indígenas no Ceará. Fortaleza, 2006.
LANDIM NETO, F. O. L.; SILVA, E. V. DA; COSTA, N. O. DA. Cartografia Social Instrumento de Construção do Conhecimento Territorial: Reflexões e Proposições Acerca dos Procedimentos Metodológicos De Mapeamento Participativo. Revista da Casa da Geografia de Sobral (RCGS), v. 18, n. 2, p. 56-70, 12 set. 2016.
LOAIZA, D.P.B; ÁLVAREZ, C.V; PALACIO, N.S. Cartografía social: construyendo territorio a partir de los activos comunitarios en salud. Entramado vol.16, n.1, p. 138-151 Enero - Junio de 2020.
GOROSTIAGA, J.M. Perspectivismo y Cartografía Social: aportes a la educación comparada. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 42, n. 3, p. 877-898, jul./sept. 2017.
GALDINO, L. K. A. Os caminhos da territorialidade da etnia Pitaguary: o caso da aldeia de Monguba no município de Pacatuba no Ceará. 2007. 118 F. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Centro de Ciências, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2007.
IPECE. Instituto de Planejamento e Estratégia Econômica do Ceará. Perfil básico municipal de Pacatuba. Disponível em http://www.ipece.ce.gov.br/publicacoes/perfil_basico/pbm2012/Pacatuba.pdf acesso em 20 de junho de 2020.
MARINO, T.B; RODRIGUES, A.M.B; SANTOS, B.P.C; SANTOS, R.A; SANTOS. R,S. A Cartografia Social No Apoio à Construção do Diagnóstico Ambiental e Turístico do Município de Conceição do Araguaia – Pará. Revista Continentes (UFRRJ), ano 6, n. 11, p.144-166 2017.
MILANÉS, O.A.G; GALLARDO, L.M; BERMÚDEZ, A.R. Educación ambiental e cartografía social: experiencias en una comunidad de Holguín, Cuba. Sociedade & Natureza. Uberlândia, MG, v.32, p.601-613, 2020.
MOTTA, J.B; GRANDE, E.A; JIMÉNEZ, J.C. Hacia una descripción densa desde la cartografía social. Educación y Humanismo 22 (38): p.1-20. Enero-Junio, 2020.
NETO, O. M. A Cartografia Inovadora: uma reflexão sobre a Cartografia Social – Ciência ou Arte?. Anais XIV Encontros de Geógrafos da América Latina – EGAL, Peru, 2013, 13p.
NEVES, R.C.M; FIALHO, V. Nova Cartografia Social: Experiências Metodológicas e Repertório Confrontacional no Nordeste Do Brasil. Vivência Revista de Antropologia n.52. p. 123-142, 2018.
PUSSININI, N; PIDORODESKI, A; TOLEDO, B. H. C. Cartografia Social dos Povos e Comunidades Tradicionais no Paraná: Novas perspectivas temáticas para a Cartografia. Entre-Lugar, Dourados, MS, ano 3, n.5, p. 19-36, 2012.
OSLENDER, U. Ontología relacional y cartografía social: ¿hacia un contra-mapeo emancipador, o ilusión contra-hegemónica?. Tabula Rasa. 2017, (26), 247-262 [fecha de Consulta 8 de Janeiro de 2021]. Disponible en: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=39652540012
SANTOS, dos D. Cartografia Social: O estudo da cartografia social como perspectiva contemporânea da Geografia. Revista de Geografia e Interdisciplinaridade, Grajaú, MA. Vol.2, n.6, p.273-293, 2016.
SILVA, C. A. Cartografia da ação social: limites e possiblidades da contribuição do fazer geográfico. Observatório Geográfico da América Latina, 2012, 16p. Disponível em: http://observatoriogeograficoamericalatina.org.mx/egal14/Nuevastecnologias/Cartografiatematica/02.pdf Acesso em 02.10. 2018.
TETAMANTI, R. M. D. Cartografía Social. Herramienta de intervención e investigación social compleja. El vertebramiento inercial como processo mapeado. In: TETAMANTI, M.D (ORG). Cartografía social: investigaciones e intervención desde las ciencias sociales: métodos y experiencias de aplicación. 1a ed. – Comodoro Rivadavia : Universitaria de la Patagonia, 2012. 162p.
VÁZQUEZ, A. MASSERA, C. Repensando la geografía aplicada a partir de la cartografía social. In: TETAMANTI, M. D (Org). Cartografía social: investigaciones e intervención desde las ciencias sociales: métodos y experiencias de aplicación. 1a ed. – Comodoro Rivadavia: Universitaria de la Patagonia, 2012. 162p.
Publicado
03/05/2022
Como Citar
COSTA, Natane Oliveira da; LANDIM NETO, Francisco Otávio. CATOGRAFIAS SOCIAIS, CONFLITOS E GESTÃO TERRITORIAL NA TERRA INDIGENA PITAGUARY. REDE - Revista Eletrônica do PRODEMA, Fortaleza, v. 15, n. 2, p. 163-177, maio 2022. ISSN 1982-5528. Disponível em: <http://www.revistarede.ufc.br/rede/article/view/664>. Acesso em: 22 maio 2024.