A CONCEPÇÃO DE TERRITÓRIO E SUA IMPORTÂNCIA NA GESTÃO DE TERRAS INDÍGENAS

Resumo

O conceito de território e seu pleno esclarecimento junto às comunidades indígenas tem contribuído para uma melhor organização dessas populações na busca de melhores alternativas para a gestão ambiental das Terras Indígenas. O artigo trabalha no sentido de revelar as principais concepções do território, principalmente no que corresponde à percepção indígena sobre suas próprias terras, a necessidade de demarcá-las de forma institucional e respaldadas legalmente. Para tanto, a pesquisa remete à Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas instituída pelo Decreto Federal nº 7.747/2012. Enfoca a sua atual aplicabilidade e a interpreta por meio de uma visão crítica dentro da realidade indígena no Brasil atual, tecendo considerações de como essas normatizações podem ser aprimoradas por meio da concepção de território por parte da população indígena.

Biografia dos Autores

Távila da Silva Rabelo, Universidade Federal do Ceará (UFC), Brasil

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Fábio de Oliveira Matos, Universidade Federal do Ceará (UFC), Brasil

Professor do Instituto de Ciências do Mar (LABOMAR) da Universidade Federal do Ceará (UFC), e dos Programas de Pós-graduação em Geografia (UFC) e Ciências Marinhas Tropicais (UFC).

Anna Erika Ferreira Lima, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), Brasil

Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE - Campus Fortaleza) e do Programa Associado de Pós-Graduação em Ensino e Formação Docente  (UNILAB/IFCE).

Referências

ALMEIDA, A. W. B. Terras Tradicionalmente Ocupadas: processos de territorialização e movimentos sociais. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 6, n.1, p. 9-32, mai. 2004. Disponível em: https://rbeur.anpur.org.br/rbeur/article/view/102. Acesso em: 29 jun. 2021.
BAVARESCO, A.; MENEZES, M. Entendendo a PNGATI: Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental Indígenas. Brasília: GIZ/Projeto GATI/FUNAI, 2014.
BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Centro Gráfico, 1988.
_______. Decreto nº 6.040, de 7 de fevereiro de 2007. Institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6040.htm. Acesso em: 29 jun. 2021.
_______. Decreto nº 7.747, de 5 de junho de 2012. Institui a Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas - PNGATI, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/decreto/d7747.htm. Acesso em: 29 jun. 2021.
_______. Lei nº 6.001, de 19 de dezembro de 1973. Dispõe sobre o Estatuto do Índio. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6001.htm. Acesso em: 29 jun. 2021.
COMANDULLI, C. S. Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas: fazendo planos. RURIS: Revista do Centro de Estudos Rurais, UNICAMP, v.10, n.1. mar. 2016.
FUNAI. Fundação Nacional do Índio. Coordenação Geral de Gestão Ambiental (Org.). Plano de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas: orientações para elaboração. Brasília: FUNAI, 2013.
GUERRA, Emerson Ferreira. Gestão territorial na terra indígena Xakriabá e a geopolítica das retomadas. Revista Geográfica de América Central, Costa Rica, v. 2, Número Especial EGAL, p. 1-16, II Semestre, 2011. Disponível em: https://www.revistas.una.ac.cr/index.php/geografica/article/view/3022. Acesso em: 29 jun. 2021.
HAESBAERT, R. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. 3ª Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007.
LIMA, A.; FANZERES, A.; ALMEIDA, J. Jeitos de fazer: experiências metodológicas para a elaboração de planos de gestão territorial em terras indígenas. Campinas: Curt Nimuendajú, 2012.
LITTLE, P. E. Gestão Territorial em Terras indígenas: definição de conceitos e proposta de diretrizes. Relatório para a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais do Acre. Rio Branco, 2006 (Mimeo).
MACHADO, M. C. Mapeamento Cultural e Gestão Territorial de Terras Indígenas: o uso dos etnomapas. 2014. 120p. (Dissertação de Mestrado em Geografia). UnB, Brasília, 2014.
MORAES, A. C. R. Território e História no Brasil. 2ª ed. São Paulo: Annablume, 2002.
OLIVEIRA, J. P. (Org.). Indigenismo e Territorialização: poderes, rotinas e saberes coloniais no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Contra Capa, 1998.
OLIVEIRA, K. E. Diga ao povo que avance! Movimento Indígena no Nordeste. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2013.
RAFFESTIN, C. Por uma Geografia do Poder. São Paulo: Editora Ática, 1993.
RODRIGUEZ, J. M. M.; SILVA, E. V. Planejamento e Gestão Ambiental: subsídios da geoecologia das paisagens e da teoria geossistêmica. Fortaleza: Edições UFC, 2013.
SALES, L. G. L.; SILVA, R. M. M.; PESSOA, Z. S. O território como um dos conceitos-chave para o entendimento da relação sociedade/natureza. In: Encontro da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Ambiente e Sociedade (ANPPAS), 3., Anais..., Brasília. , 2006.
SMITH, M.; GUIMARAES, M. A. Gestão ambiental e territorial de terras indígenas: reflexões sobre a construção de uma nova política indigenista. In: Encontro Nacional da ANPPAS, 5., Anais..., Florianópolis, 2010.
Publicado
01/05/2022
Como Citar
RABELO, Távila da Silva; MATOS, Fábio de Oliveira; LIMA, Anna Erika Ferreira. A CONCEPÇÃO DE TERRITÓRIO E SUA IMPORTÂNCIA NA GESTÃO DE TERRAS INDÍGENAS. REDE - Revista Eletrônica do PRODEMA, Fortaleza, v. 15, n. 2, p. 149-158, maio 2022. ISSN 1982-5528. Disponível em: <http://www.revistarede.ufc.br/rede/article/view/682>. Acesso em: 17 abr. 2024.